Header Ads

Image and video hosting by TinyPic
Breaking News
recent

"BOTAFOGO VENCE O VASCO e LEVA A TAÇA GUANABARA"


Parecia o roteiro de um filme. Em menos de um mês, o Botafogo saiu literalmente do fundo do poço para a glória. Na tarde deste domingo, o Botafogo venceu o Vasco por 2 a 0 no Maracanã e conquistou a Taça Guanabara pela sexta vez em sua história.

CORRERIA PARA TODOS OS LADOS

Empurrados por suas torcidas, Vasco e Botafogo iniciaram o jogo com muita disposição. Ao ataque, as duas equipes escolheram as laterais como melhor forma de buscar o gol. Aos quatro minutos, o Botafogo fez valer a escolha inicial e quase chegou lá. Pela esquerda, Lucio Flavio achou Loco Abreu, que se movimentou bem e por muito pouco não chegou na bola. Também pela esquerda de ataque, Carlos Alberto decidiu aparecer e foi acionado por diversas vezes, mas sem sucesso.

Longe de inspiração, mais uma vez o setor ofensivo do Bota ficou dependente das bolas áreas vindas da defesa. Apesar da luta, Loco Abreu e Herrera pouco produziram. Ainda assim, mais organizado em campo, o Glorioso saiu em busca do resultado. Em um dos tantos cruzamentos na área, Alessandro pegou firme na bola após falha da defesa vascaína e só não saiu para o abraço porque Herrera tentou desviar para a rede e ao invés de marcar, impediu a festa alvinegra. Se a ordem era buscar a bola aérea, Marcelo Cordeiro foi outro jogador que apareceu bastante, sempre presente nas jogadas de perigo.

Em geral, a primeira etapa deixou a desejar na parte técnica, apesar da vontade. Com o ritmo mais lento ao se aproximar do intervalo, o Vasco chegou mais forte e fez despertar o talento de Philippe Coutinho. Agora pelo meio, o jovem assustou a defesa adversária, mas pecou no último passe. Para desespero vascaíno, na chance mais clara de gol do time, Dodô titubeou e deixou a bola escapar do seu domínio.

A HORA DA GLORIOSA REDENÇÃO

Na volta do vestiário, a partida continuou morna e ambas as partes dividiram as honras no ataque. Entre as chances perdidas, Herrera recebeu sozinho dentro da área e tentou encobrir Fernando Prass, mas o goleiro realizou bela defesa, aos dois minutos. Já pelo Vasco, Carlos Alberto subiu de produção e quase abriu o placar de fora da área, mas a bola caprichosamente foi para fora.

Em dificuldade, Joel Santana buscou seu talismã no banco de reservas e assim como nas semifinais contra o Flamengo, trocou Lucio Flavio, apagado em campo, por Caio. Na base da velocidade, a mudança surtiu efeito e mais uma vez, o atacante fez a diferença. Mais presente ofensivamente, Caio sofreu falta que posteriormente, resultou em escanteio. Na cobrança de Marcelo Cordeiro, Fábio Ferreira subiu mais alto que os zagueiros vascaínos e de cabeça, fez explodir a galera do Fogão no Maraca.

Mais tranquilo com o gol, o Bota ainda ganhou um fôlego a mais com a expulsão de Nilton, aos 26 da segunda etapa, após carrinho desleal em Caio. Para tentar reverter a situação, Vagner Mancini avançou o Cruzmaltino com a entrada de Rodrigo Pimpão, mas o balde de água fria estava por vir. Em lance infantil, Titi recebeu cartão amarelo em falta na linha lateral e na jogada seguinte, puxou Loco Abreu dentro da área. Marcelo de Lima Henrique marcou a penalidade, expulsou Titi e deu a chance para o uruguaio marcar na decisão. De frente para Fernando Prass, El Loco colocou no canto esquerdo do goleiro e decretou de uma vez o dono do título.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.